Cookies

Usamos cookies para lembrar suas preferências e lhe proporcionar a melhor experiência em nosso site. Favor clicar no
botão para aprovar o nosso uso de cookie. No entanto, se você quiser, pode mudar sua configuração de cookies a qualquer momento.

 

Apresentação de dança no lançamento da ARISE em Lilongwe

Notícias e eventos

O que está acontecendo

JTI compartilha sua experiência em combate ao trabalho infantil

12/06/2019, Instituto ethos

Foco nos Produtores Rurais

19 de agosto de 2016, Porto Alegre

news-farmers-conference01.jpgDescrição da imagem: Conferência de agricultores em andamento

O Programa ARISE no Brasil convocou uma conferência de dois dias de grande sucesso em Porto Alegre, para fornecer aos produtores familiares uma plataforma para discutir os desafios que eles enfrentam para seguir a legislação do trabalho infantil do país. O evento, realizado no Auditório do Tribunal Regional do Trabalho em Porto Alegre, foi assistido por mais de 350 pessoas, incluindo produtores familiares. Alguns dos principais reformistas do trabalho infantil no país também participaram, incluindo o Ministro do Tribunal Superior do Trabalho, Lelio Bentes Corrêa, bem como outros representantes das áreas de Trabalho, Agricultura, Desenvolvimento Agrário, Educação e Direitos Humanos, membros do judiciário, funcionários municipais, conselhos locais, conselhos tutelares, empresas, legisladores, promotores públicos e membros da imprensa.

Os participantes ouviram sobre a importância da educação para acabar com o trabalho infantil e as ferramentas disponíveis para ajudar os agricultores. Eles também aprenderam sobre os últimos desenvolvimentos nacionais e compartilharam suas experiências.

Lelio Bentes Corrêa, argumentou que a educação de qualidade e respeito pelos direitos humanos são ferramentas essenciais para o combate ao trabalho infantil no Brasil. Ele disse: "O trabalho infantil não pode ser combatido apenas com ações de curto prazo.  É essencial investir em educação de qualidade, para garantir que essas crianças e adolescentes permaneçam na escola e tenham o direito ao desenvolvimento profissional, conforme estabelecido na Constituição Brasileira".

O evento foi considerado altamente informativo pelos presentes, incluindo o Sr. Leônidas e a Sra. Vanessa, cujos dois filhos Luan (12) e Julia (9) fazem uso de atividades extracurriculares do programa ARISE (oficinas de violão e artesanato). Leônidas disse: "O ARISE ajuda os pais a trabalharem mais tranquilos. Enquanto as crianças estão na escola, elas aprendem e serão capazes de nos ajudar no futuro".

Oficinas de contraturno através de energia solar

12 de agosto de 2016, Lagoa Bonita do Sul

news-solar.jpg

A escola estadual José Luchese em breve será alimentada por painéis solares como parte do projeto fotovoltaico do estado. O projeto, uma parceria entre o Programa Nossas Comunidades Rurais (GSP) e a 6ª Coordenadoria Estadual de Educação do Rio Grande do Sul, é uma novidade entre as escolas estaduais do estado. O GSP apoia o ARISE ao abordar as insuficiências com base nas necessidades de recursos.

O governador José Ivo Sartori participou do evento de inauguração na sexta-feira, 12 de agosto, para celebrar a instalação de painéis solares que geram eletricidade para a escola. As economias em custos de energia serão utilizadas para financiar as oficinas de contraturno na escola, tornando essas atividades autofinanciadas e sustentáveis.

O Projeto Fotovoltaico contribui para nove dos 17 objetivos das Nações Unidas para transformar o nosso mundo, incluindo energia limpa e acessível, educação e ação contra a mudança climática global. Tornou-se tambem parte da iniciativa Escola Melhor: Sociedade Melhor, do Governo do Estado, que visa contribuir para a melhoria da qualidade da educação em escolas públicas, em parceria com o setor privado.

Exposição fotográfica ARISE: criando novas tradições

25 de abril de 2016, Genebra – Uma exposição fotográfica celebrando cinco anos do Programa ARISE foi aberta hoje na área de recepção do edifício-sede da JTI em Genebra. Vinte fotos espetaculares traduzem os esforços do ARISE para combater o trabalho infantil em comunidades em crescimento onde a JTI adquire folha de tabaco. As imagens, expostas até 13 de maio, exploram a estratégia que norteia o programa, de criar novas tradições e romper o ciclo do trabalho infantil.

Lançado em 2011, o Programa ARISE – uma parceria entre a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a JTI e a Winrock International – já transformou as vidas de milhares de pessoas. Sua abordagem de três pilares para acabar com o trabalho infantil proporciona acesso à educação, cria oportunidades econômicas alternativas e defende a mudança nas políticas. As imagens captadas no Brasil, Malawi e Zâmbia mostram os beneficiados pelo ARISE, incluindo crianças, famílias, professores e agricultores.

A exposição é patrocinada pela JTI e será promovida em outras sedes da empresa no mundo. Encerra-se em Tóquio, Japão, em novembro de 2016. Embora o evento não seja aberto ao público, as fotos exibidas podem ser visualizadas por qualquer pessoa no catálogo da exposição, disponível para download no website do Programa ARISE.

Para mais informações, envie e-mail para:  contact@ariseprogram.org

Video do Programa Arise no Brasil - Alcançando a Redução do Trabalho Infantil pelo Suporte à Educação

 

A organização Internacional do Trabalho (OIT), juntamente com os parceiros Winrock International e JTI International, apresenta o documentário realizado no âmbito do Programa ARISE Alcançando a Redução do Trabalho Infantil pelo Suporte à Educação.

O Programa ARISE foi lançado em janeiro de 2012, na cidade de Arroio do Tigre, no Rio Grande do Sul e conta também com parceiros governamentais, de entidades representativas de trabalhadores e empregadores, da sociedade civil e das comunidades produtoras de tabaco.

O documentário sintetiza a atuação destes parceiros durante os anos de 2012 a 2014 com o objetivo central de prevenir e reduzir progressivamente o trabalho de crianças e adolescentes na lavoura de tabaco.

Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil
Um futuro melhor

'Eu terei um futuro melhor com o que eu aprendi.'
Pascarina Lubinda, 15, Chitwa, Zâmbia.

O Programa ARISE publicou o seu último relatório anual 'Criando mudanças juntos' em 12 de junho, coincidindo com o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil. O relatório descreve como o ARISE está pondo um fim ao trabalho infantil em comunidades nas regiões de cultivo de tabaco onde a JTI, em seu ramo de negócio, coloca a educação como a solução central para o problema. Histórias de sucesso oferecem relatos pessoais sobre o impacto que o programa está tendo.

Durante o ano de 2014, as atividades do ARISE no Brasil, Malawi e Zâmbia resultaram em mais de 5.500 crianças removidas do trabalho infantil no meio rural e colocadas na escola. No mesmo ano, o programa ajudou a melhorar os meios de vida de 1.200 famílias e conscientizou quase 18.000 membros de comunidades e professores em relação ao trabalho infantil.

O Programa ARISE foi criado em 2011 quando a JTI assinou acordos de parceria com a Organização Internacional do Trabalho e a Winrock International. A estratégia do programa é romper o ciclo de trabalho infantil, assumindo compromissos e colaborando com produtores rurais, famílias, comunidades e governos para pôr abaixo as barreiras tradicionais e criar mudanças culturais que coloquem um fim ao trabalho infantil. Cursos de treinamento para produtores e professores, assim como oportunidades de geração de renda para famílias são ações que integram a proposta do ARISE.

O tema do Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil deste ano é 'Não ao trabalho infantil – Sim a uma educação de qualidade'. Mas essa ideia não é nova para o ARISE, cujo programa trabalha duro para equipar escolas com recursos, treinar professores e oferecer alternativas viáveis ao trabalho infantil, como atividades extracurriculares para aquelas crianças que conciliam escola e trabalho durante os períodos sazonais de demanda.

Novas salas de aula são motivo de comemoração

school_opening2.jpgSecretária Regional Permanente da Zâmbia, Augustine Seyuba, inaugura oficialmente nova escola

11 de março de 2015, Zâmbia, Província Ocidental – Uma cerimônia comunitária foi realizada com a presença de pais, professores, crianças e dignitários locais para comemorar a inauguração da Escola Modular Kakanda. A escola recentemente construída, localizada em uma comunidade ARISE no Distrito de Kaoma, recebeu seus primeiros alunos em 4 de março de 2015 e fornece oportunidade de educação de qualidade a mais de 500 crianças.

As festividades tiveram início com músicas interpretadas por um talento infantil e com apresentação de talentos locais. A isso se seguiram discursos de alguns convidados, incluindo a Secretária Regional Permanente, Augustine Seyuba, e o Gerente Geral da JTI na Zâmbia, Mike Roach. Um pai falou para os presentes, compartilhando suas opiniões sobre a experiência de seu próprio filho e estimulando outros pais a permitir que seus filhos frequentem a escola.

Um grupo de líderes tradicionais, Nduna, esteve presente e manifestou seu apoio ao projeto cortando a fita na entrada de um dos novos prédios e descerrando uma placa comemorativa. Posteriormente as comemorações continuaram e incluíram percussão tradicional tocada em um grande xilofone, acompanhadas de danças.

As cinco novas salas de aula, bloco administrativo, casa de empregados e bloco de sanitários substituíram as estruturas básicas com cabanas de barro. As estruturas que dispensam manutenção são uma melhora substancial, proporcionando um ambiente confortável e bem iluminado para o aprendizado das crianças. Espera-se que as novas instalações estimulem mais crianças a trocar o trabalho infantil pela sala de aula.

"Temos orgulho de ter proporcionado às crianças da comunidade os meios de realizar seu potencial. O ambiente desempenha um papel importante na receptividade de crianças e pais à educação. Essas novas instalações fornecem espaço onde as crianças podem receber cuidado e apoio", diz Renata Bruzova, Gerente do Programa da Arise.

O Programa da Arise adota uma abordagem de longo prazo para tratar de problemas sociais complexos. Eliminar o trabalho infantil e fornecer melhores ambientes de aprendizado é uma das estratégias principais do programa.

Duas novas escolas para as comunidades da Arise

5 de fevereiro de 2015 – Duas novas escolas foram criadas em comunidades da ARISE em Malawi e na Zâmbia, promovendo acesso à educação para mais de 1.500 crianças. Os locais para as escolas foram escolhidos com base em uma avaliação das necessidades da comunidade e as autoridades locais deram sua aprovação para a construção das escolas. As comunidades estão comprometidas e motivadas.

Espera-se que as novas escolas aliviem um pouco da pressão nos sobrecarregados sistemas de educação à medida que as crianças fizerem a transição da agricultura para a escola. Em Malawi a escola estará acessível em uma comunidade com 500 famílias, e onde JTI atualmente obtém mais de 200 mil quilos de tabaco por ano. Antes das escolas, os alunos tinham aula em baixo de árvores, com deficiência de professores e materiais, poucas carteiras, instalações sanitárias ruins, casas inadequadas para os professores e ausência de livros. Na Zâmbia, o novo projeto de escola inclui cinco novas salas de aulas, um bloco administrativo, uma casa de empregados e um bloco de lavagem.

As novas escolas estão contribuindo com um dos objetivos do Programa da Arise de aumentar o acesso a bons ambientes de aprendizado. "Esperamos que as novas escolas se desenvolvam a partir do considerável sucesso que tivemos em anos recentes', disse Renata Bruzova, Gerente do Programa da Arise." "Nós temos um método inovador e de longo prazo para tratar problemas sociais complexos e eliminar o trabalho infantil, e as novas escolhas reforçam nosso foco cada vez maior na África".

A cerimônia de inauguração em Malawi teve a presença do Ministro Substituto da Educação, Ciência e Tecnologia, Emmanuel Fabiano. A escola na Zâmbia será inaugurada oficialmente em março de 2015.

Avaliação independente mostra que a ARISE está seguindo na direção certa

3 de dezembro de 2014, Malawi, Brasil – No primeiro semestre de 2014, foi realizada uma avaliação independente da ARISE em Malawi e no Brasil. Sob administração da OIT-IPEC, três consultores externos realizaram um estudo de mesa e um trabalho de campo no Brasil e em Malawi. O método foi consultivo e participativo, abrangendo todas as principais partes envolvidas. A metodologia incluiu técnicas quantitativas e qualitativas, com mais ênfase em técnicas qualitativas para um melhor alinhamento com os objetivos do Programa e os resultados esperados. As informações foram coletadas mediante exames de documentos, entrevistas individuais semiestruturadas, discussões de grupo, grupos de foco, observação direta e questionários. A avaliação também examinou atividades de treinamento em nível global como parte da ARISE.

Você pode saber mais sobre os resultados da avaliação baixando um resumo de nossa seção de recursos.

Ministério em Malawi reconhece oficialmente a contribuição para a melhoria nas condições do ensino

6 de agosto de 2014, Malawi – O Ministério de Educação, Ciência e Tecnologia de Malawi reconheceu oficialmente o CREATE, um programa social da JTI implementado pela Winrock International que se alinha com as metas e atividades do programa da ARISE. A Secretaria de Educação do Ministério emitiu um certificado de reconhecimento pela contribuição do programa à melhoria das condições de ensino e aprendizado nos distritos de Lilongwe e Ntcheu. Atuando nas comunidades da ARISE, o CREATE atende às necessidades dos professores e visa a criar as condições em que tanto professores quanto alunos possam ser bem sucedidos. O objetivo imediato da iniciativa é fornecer o treinamento necessário aos professores e conceder às comunidades a autonomia para criar melhores condições para professores e alunos. Pela mobilização de recursos para melhorar as escolas e capacitação dos professores a ensinar com qualidade, o programa irá estimular as crianças a permanecer nas escolas, assim provendo o objetivo geral do programa da ARISE de reduzir o trabalho infantil.

A ARISE comemora o Dia Mundial contra o Trabalho Infantil na Zâmbia

12 de junho de 2014, Zâmbia – O Dia Mundial contra o Trabalho Infantil marcou a primeira atividade em larga escala do programa da ARISE na Zâmbia desde que começou a atuar no país no começo de 2014.

Os Comitês Comunitários de Trabalho Infantil (CCLC), o Comitê Distrital de Trabalho Infantil (DCLC), a Winrock International (WI), a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a JTI e a comunidade local todos participaram ativamente nas comemorações que ocorreram em 12 comunidades nos distritos de Kaoma. Os Comissários Distritais, bem como diversos líderes locais e tradicionais, também compareceram a eventos nos dois principais centros em Chitwa e Munkuye.

Alguns eventos tiveram recordes de comparecimento, com mais de 350 membros da comunidade presentes. Os Comissários Distritais desafiaram as comunidades para que as comemorações do próximo ano tenham o comparecimento de mais pais e menos crianças, pois a mensagem e o tema do evento – estender a proteção social – eram mais direcionados a eles.

As animadas comemorações realizadas nas áreas rurais de Kaoma incluíram uma caminhada nas vilas e pontos de compra da JTI, testemunhos de crianças que estavam envolvidas em trabalho infantil, poemas e desenhos ilustrando as várias formas de trabalho infantil nas comunidades produtoras de tabaco.

Também foram realizados vários eventos esportivos mostrando o direito de brincar das crianças. O Comissário Distrital de Kaoma disse palavras de incentivo às crianças, de que elas deveriam colocar a educação em primeiro lugar, ao abrir oficialmente os jogos. Um momento de destaque das atividades esportivas foi quando as mães competiram contra as crianças em um jogo de netball e venceram.

ARISE do Brasil comemora o Dia Mundial contra o Trabalho Infantil

5 a 11 de junho de 2014, Brasil – Nos dias 5, 10 e 11 de junho de 2014, a ARISE do Brasil comemorou o Dia Mundial contra o Trabalho Infantil juntamente com os municípios de Ibarama, Arroio do Tigre e Lagoa Bonita do Sul no Brasil. Os eventos proporcionaram aos alunos, pais, professores e comunidades uma tarde divertida e educativa para conscientizar sobre trabalho infantil e a importância da educação. Os participantes também receberam orientação sobre saúde adolescente em parceria com Cerest dos Vales. Foi encenado um esquete pelo grupo de teatro Espaço Camarim de Santa Cruz do Sul. Mais de 1.500 pessoas participaram dos eventos nos três dias.

De acordo com a Sra. Luísa, Diretora da Winrock, "há uma preocupação crescente no Brasil sobre os impactos negativos do trabalho infantil. Muitas crianças e jovens são solicitados a abandonar seus estudos em favor do local de trabalho, ou quando tentam combinar as responsabilidades da escola e do trabalho, normalmente a escola sai perdendo". Ciente de que a educação é um fator essencial na eliminação do trabalho infantil, em conjunto com os Departamentos de Educação de municípios locais, o programa da ARISE está organizando atividades extraclasse nas áreas de música, computação, educação ambiental, artesanato, jardinagem escolar e idiomas como inglês, alemão e italiano. O foco é de que "as crianças precisam aprender e brincar", disse a Sra. Luísa. Em 12 de junho de 2014, no contexto da realização da Copa do Mundo no Brasil, o tema da campanha foi "Cartão Vermelho: Todos juntos contra o trabalho infantil".

Malawi: Governo comprometido com o combate ao trabalho infantil

4 de julho de 2014, Lilongwe – O Ministro do Trabalho e Treinamento Vocacional, Henry Mussa, disse na quinta–feira que o Governo irá intensificar seus esforços para combater o trabalho infantil no país.

Falando durante a comemoração do dia para o Distrito de Lilongwe na Escola Primária de Mchemani na área da Autoridade Tradicional de Chimutu, Mussa disse que o trabalho infantil é um inimigo do desenvolvimento, já que priva as crianças de seu direito a educação de qualidade, então o governo não irá tolerar qualquer forma de abuso contra eles.

"O Governo irá promover políticas que ajudem a manter as crianças na escola. Nenhuma criança deverá ser permitida a trabalhar em lares ou fazendas como forma de lhes dar capacidade de se tornarem cidadãos produtivos no futuro", ele disse.

O Ministro disse que é desanimador observar que, neste momento, o mundo está longe de vencer a guerra contra o trabalho infantil, se nos basearmos nas estimativas da Unicef e da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

De acordo com Mussa, a Unicef e a OIT estimam que 150 milhões de crianças entre quatro e 14 anos de idade estão trabalhando.

Ele convocou as ONGs e o setor privado para se juntarem ao governo para garantir que o trabalho infantil seja eliminado, já que 60 por cento da população do país é composta de crianças e jovens que merecem plena proteção do governo e de todas as partes envolvidas.

Mussa elogiou o projeto Obtendo a Redução do Trabalho Infantil em Apoio à Educação (ARISE), que está implementando suas atividades na área para garantir que as crianças não mais sejam empregadas em fazendas, como era o caso.

Através do projeto da ARISE implementado por uma ONG local, Empoderamento dos Jovens para a Educação Cívica (YECE), com fundos da OIT e da Japanese Tobacco International (JTI), crianças estão saindo das fazendas e voltando às escolas.

Após o horário escolar elas se envolvem em diversas habilidades vocacionais como carpintaria, alfaiataria e soldagem, enquanto os pais e responsáveis recebem capital para iniciar pequenos negócios para que possam sustentar as necessidades de ensino de seus filhos.

"O Governo entende que questões de trabalho são importantes para o desenvolvimento nacional e é por isso que o Presidente de Estado, Prof. Peter Mutharika, determinou que o Ministério do Trabalho esteja entre os ministérios essenciais", ele disse.

Membro do Parlamento na área, Lefani Thyolera também atribuiu os casos de redução de trabalho infantil e maior conscientização sobre o impacto do trabalho infantil junto às comunidades ao projeto da ARISE.

O dia foi comemorado com o tema: "Combata o Trabalho Infantil - estenda a proteção social. O Dia Mundial contra o Trabalho Infantil é comemorado em 12 de junho todos os anos.

Fonte: http://allafrica.com/stories/201407041401.html

Para quaisquer dúvidas, favor entrar em contato com: jti.press.office@jti.com - +41 22 703 02 91

Encontro anual dos parceiros da ARISE

18 a 20 de março de 2014, Cidade do Cabo – Os parceiros da ARISE se reuniram para discutir o progresso, questões operacionais e melhores práticas, e para desenvolver planos estratégicos para 2015. No primeiro dia, os presentes participaram de uma competição de Master Chef e Amazing Race. No segundo dia, o objetivo da discussão em grupo era assegurar que as principais áreas estratégicas fossem atendidas na elaboração final do programa da ARISE em 2015.

Evento de Plataforma de Trabalho Infantil

6 e 7 de março de 2014, Genebra – A ARISE participou no evento especial da OIT, Plataforma de Trabalho Infantil (CLP), nesta semana. A CLP visa a identificar os obstáculos para a implementação das Convenções da OIT em cadeias de fornecimento e comunidades circunvizinhas, identificar formas práticas de superar esses obstáculos e catalisar a ação coletiva. O fórum proporcionou uma arena neutra para uma franca troca de ideias entre governos, empresas e outras organizações sobre o que funciona e o que não funciona nos esforços corporativos para eliminar o trabalho infantil. A ênfase nessa reunião foi em conformidade, inspeção e monitoração.

O QUE FAZEMOS

Nossas atividades

O objetivo das nossas atividades é tratar a causa raiz do trabalho infantil na cultura do tabaco.

Leia mais

ONDE TRABALHAMOS

Brasil, Malawi e Zâmbia

Chegamos a milhares de crianças e suas famílias.

Leia mais

O QUE É O TRABALHO INFANTIL?

Utilizamos a definição da OIT

Nem todo o trabalho feito por crianças deve ser classificado como trabalho infantil que deva ser alvo de eliminação.

Leia mais