Cookies

Usamos cookies para lembrar suas preferências e lhe proporcionar a melhor experiência em nosso site. Favor clicar no
botão para aprovar o nosso uso de cookie. No entanto, se você quiser, pode mudar sua configuração de cookies a qualquer momento.

 

Ensinando práticas agrícolas seguras

Onde trabalhamos

Comunidades alvo

A ARISE visa a prevenir e eliminar o trabalho infantil em países em que a JTI atua. Atualmente operamos no Brasil, Malawi e Zâmbia.

South America

South America

Brazil

Africa

Brasil

O Brasil é o quinto maior país do mundo – tanto em termos de área quanto de população – e o maior da América Latina por uma larga margem. Também é um país com disparidades consideráveis de renda, tanto na divisão entre as zonas urbana e rural como nos dois lados. Como aproximadamente 80% dos brasileiros vivem em cidades, os investimentos e gastos do governo tendem a se concentrar em áreas construídas. Os que vivem em comunidades rurais muitas vezes enfrentam desafios, incluindo deficiência de educação de qualidade, saúde pública precária e poucos investimentos em infraestrutura.

O programa da ARISE teve início no sul do Brasil em fevereiro de 2012 e foi desenvolvido em torno do município de Arroio do Tigre, em uma área conhecida como Celeiro do Centro-serra, no estado mais ao sul do Brasil, o Rio Grande do Sul. O estado difere do resto do país em sua geografia e economia, onde há um nível médio de renda em comparação com os níveis mais baixos no resto do país. Dentro do município, o programa se concentrou inicialmente nas comunidades e áreas circunvizinhas de São Roque, Linha Ocidental, Taboãozinho, Rocinha, Sitio Alto, Coloninha, Vila Progresso, Linha Paleta, Linha São Pedro e Linha Cereja. Essas áreas foram selecionadas em razão do alto potencial de risco de trabalho infantil e da vulnerabilidade de muitas das crianças que lá se encontram. Curiosamente, o trabalho infantil ocorre nessas áreas nem tanto em razão da pobreza, mas por causa de um complexo grupo de fatores, incluindo crenças culturais, predominância de fazendas familiares e falta de conscientização sobre os riscos do trabalho infantil. Hoje, o programa está presente em Arroio do Tigre, Ibarama, Sobradinho e Lagoa Bonita do Sul.

O programa da ARISE está sendo aplicado em campo juntamente com os parceiros locais Escola Família Agrícola (EFA) e Cooperativa dos Profissionais da Assistência Técnica e Extensão Rural (COOPATER).

Malawi

Malawi é um dos países mais pobres da África e essa pobreza é um dos principais causadores da incidência de trabalho infantil, particularmente no setor agrícola, que representa quase a metade do PIB do país. O problema do trabalho infantil em Malawi é exacerbado pela alta prevalência de HIV/AIDS e existe um grande número de órfãos vulneráveis ao trabalho infantil. As crenças culturalmente enraizadas também são um problema, pois as crianças são habituadas a contribuir para a economia doméstica de suas famílias, não apenas gerando renda adicional, mas também criando uma ética de trabalho e apreço pela unidade familiar. A ARISE foi lançada na Malawi em fevereiro de 2012, com foco em 20 vilas, nos distritos produtores de tabaco de Ntcheu e Lilongwe (a área rural em torno da cidade).

ARISE é administrada em Lilongwe, a capital de Malawi. Entre outros cargos, os que conduzem o programa incluem um Diretor de Programas, um Especialista em Agronegócio e um Especialista em Monitoração e Avaliação. A ARISE também depende da estreita colaboração dos parceiros locais de implementação. As 10 vilas em cada distrito foram selecionadas usando alguns critérios, incluindo os níveis atuais de trabalho infantil, a incidência de HIV/AIDS, o nível de engajamento da comunidade, o grau de participação das mulheres na economia local e a presença de associações de agricultores, cooperativas e outras redes comunitárias. Em Malawi, as autoridades tradicionais e os líderes cívicos desempenham um papel importante no governo local e na liderança das comunidades, fazendo do seu envolvimento um componente crítico para o mais amplo sucesso do programa da ARISE.

Zâmbia

Embora a Zâmbia não esteja entre os países mais pobres da África, ainda assim enfrenta alguns desafios assustadores e a pobreza permanece disseminada. É uma nação gravemente atingida por HIV/AIDS, o que se soma aos problemas econômicos e sociais existentes. Possui um significativo setor agrícola e o tabaco é um dos mais valiosos cultivos comerciais do país. O trabalho infantil está disseminado na Zâmbia, a maior parte sendo trabalho familiar não remunerado, embora algumas crianças trabalhem para gerar renda para si mesmas ou suas famílias.

Na Zâmbia, o trabalho infantil e falta de acesso à educação estão estreitamente vinculados. Muitos pais fazem com que seus filhos comecem a trabalhar porque a escola mais próxima não é física e financeiramente acessível ou capaz de proporcionar um ensino relevante e de qualidade. Embora o número de matrículas tenha aumentado em anos recentes, a disponibilidade não acompanhou a demanda, criando salas de aula superlotadas e turnos duplos ou mesmo triplos durante o dia, resultando em altas proporções de alunos por professor e menos horas de aprendizado.

A ARISE foi lançada em abril de 2013 na área de cultivo de tabaco do Distrito de Kaoma, parte da Província Oeste da Zâmbia. As atividades são realizadas em 12 comunidades que foram selecionadas com base em alguns critérios, incluindo o nível absoluto de trabalho infantil, vulnerabilidade das crianças (muitas vezes resultado do impacto da HIV/AIDS), envolvimento dos líderes locais em suas comunidades e a disposição das comunidades em fornecer apoio e assumir as atividades.

HISTÓRIA DE SUCESSO

Empreendedoras de panificação

O treinamento do programa da ARISE ajudou duas mães a montar com sucesso pequenos negócios de panificação.

Leia mais

HISTÓRIA DE SUCESSO

Vila Mthyoka

Lares vulneráveis em Mthyoka receberam subvenções condicionais da ARISE. Os beneficiários abriram negócios em grupo e individuais e estabeleceram um esquema de poupança e empréstimo.

Leia mais

QUEM SOMOS

Uma parceria inovadora

Somos uma parceria dos setores público e privado, e as nossas habilidades e competências se complementam na nossa missão.

Leia mais